Nubank recria Porta dos Desesperados com Sérgio Mallandro em campanha do Pix

Em meio à corrida em busca de cadastros de clientes para utilizar o Pix, novo sistema de pagamento do Banco Central, o Nubank recriou a Porta dos Desesperados, com Sérgio Mallandro, para desmistificar a sua plataforma e mostrar as surpresas que podem ocorrer pelos concorrentes.

Criada pela agência interna do banco digital, a campanha “Pix dos Desesperados” faz uma releitura do quadro que fez sucesso nas décadas de 1980 e 1990 conduzido por Mallandro. Crianças da plateia iam ao palco e escolhiam entre três portas —geralmente uma delas tinha brinquedos e prêmios bacanas e as outras tinham uma pessoa fantasiada de algum monstro.

Com “Glu glus” e “ié iés”, o apresentador chama participantes para abrirem as portas e verem o que supostamente pode ocorrer no processo de diversos bancos. Gerentes tentando bater metas vendendo produtos bancários e asteriscos com letras miúdas e pilhas de contratos para assinar, por exemplo.

Para exaltar a marca, apenas ao abrir última porta é que participante chega ao paraíso ao encontrar o atendimento do Nubank.

A solução de transferências e pagamentos do Banco Central foi lançada em 16 de novembro e abriu uma grande concorrência entre bancos e fintechs para atrair o maior número de clientes. Para isso, as instituições oferecem prêmios que podem chegar a R$ 1 milhão.

A disputa se dá pelo limite de chaves que cada pessoa pode cadastrar. Cada cliente pode ter até cinco chaves para cada conta de que for titular.

Para atrair o público, o Nubank fez uma promoção que possibilita concorrer a R$ 20 mil e, em um segundo momento, cada transferência feita pelo Pix dá ao cliente o direito a concorrer a R$ 50 mil.

Segundo o banco digital, já foram registradas mais de 21 milhões de chaves por cerca de 9 milhões dos 30 milhões de clientes.